Por André Rosa e Wallinson Leandro

Na quinta-feira (08), a Faculdade Icesp reuniu alunas, colaboradoras e professoras para comemorar o Dia Internacional da Mulher. As comemorações foram realizadas nas duas unidades.

Águas Claras

Em Águas Claras, elas tiveram um dia especial com diversos serviços voltados para a saúde e beleza. O objetivo foi proporcionar, às mulheres colaboradoras, alunas e professoras da Faculdade, um dia de cuidados com a saúde, a beleza e autoestima. Todas foram acolhidas com muita alegria, bombons e sorteio de brindes.

Atividades do Dia da Mulher em Águas ClarasO curso de Enfermagem ofereceu teste de glicemia capilar, aferição de pressão arterial e orientações. Já o curso de Biomedicina proporcionou o espaço da beleza com limpeza de pele. Também foram realizados testes de tipagem sanguínea, orientação sobre doença hemolítica do recém-nascido, teste de HPV e urina.

As coordenadoras dos cursos de Enfermagem e Biomedicina, Judith Trevisan e Patrícia Alcântara, se uniram para proporcionar o dia especial para as mulheres. “Os cuidados com a saúde da mulher são assuntos muito importantes, é sempre bom trazer para o meio acadêmico, ” disse Judith. Para a coordenadora Patrícia, o empenho dos alunos é o diferencial. “ Todos estão empolgados em participar da ação. A autoestima, a beleza e os cuidados com a saúde devem ser replicados não só no dia de hoje, mas sempre”, afirmou.

A aluna Eurides Pereira gostou da iniciativa e aproveitou para fazer limpeza de pele, aferir a pressão e teste de urina. “Cheguei à faculdade e já vim logo fazer a limpeza de pele. Estou me sentindo renovada e feliz, boa iniciativa”, disse.

Para a aluna, do quinto semestre de biomedicina, Alessandra Rodrigues, a oportunidade une vários benefícios. “Além de oferecer esse dia especial para as mulheres, nós, estudantes, podemos colocar em prática o que aprendemos em sala de aula“, concluiu.

Guará

Na unidade do Guará, elas se reuniram para conhecer as histórias, trajetórias e conquistas umas das outras. O objetivo é foi deixar claro para a mulher, que ela pode ser o que quiser.

O encontro reuniu mulheres de diversas área de atuação e teve como palestrantes a ex-jogadora de vôlei da seleção brasileira, Leila Barros, Cristiane Maria Lima, do BRB, e Raissa Rossiter, do GDF.

Em um bate papo descontraído, as convidadas contaram suas trajetórias e desafios no mercado de trabalho. Leila barros, que hoje está na Secretaria do Esporte, Turismo e Lazer, conta quais foram suas maiores dificuldades. “O maior desafio que eu vivi foi a resistência do meu pai em não entender que ele tinha uma filha atleta. Foi uma barreira muito difícil que tive que transpor, ganhar a confiança dos meus pais em eles entenderem que era aquilo que eu queria para a minha vida”, comentou.

Raissa Alessandra Rossiter que é subsecretária de políticas para mulheres, da Secretaria Adjunta de Políticas para Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, conta o que vem sendo feito pela igualdade de gênero. “Nós estamos numa caminhada. Já tivemos muitas conquistas, mas eu creio que há ainda muito a percorrer. Nós temos que ampliar a participação da mulher no mercado de trabalho, nós temos que diminuir os indicadores das violências contra a mulher”, pontuou.

Jaqueline borges, do curso de direito conta o que achou da palestra. “Achei muito interessante a questão da valorização da mulher, em termos um dia internacional para isso e gostei muito de a faculdade trazer mulheres para dividir suas histórias e superações no decorrer da vida”, disse.

Cristiane Maria, que é diretora de crédito do BRB também conta os desafios que encontrou na gestão empresarial. “No segmento que atuo, o financeiro, o maior desafio é você estar capacitado para gerir o ambiente, pessoas, operações, entender muito de governança e também a questão jurídica que é fundamental para que você possa se inserir nesse segmento”, explicou. 

Nayane oliveira, de ciências contábeis, comenta que saiu satisfeita do encontro. “A Faculdade como sempre me surpreendeu mais uma vez, me sinto lisonjeada de estar participando desse tipo de evento. Sempre trazem pessoas capacitadas e hoje não foi diferente. Eu só tenho a agradecer”, contou.

O dia da mulher repleto de comemoração foi encerrada com muita alegria e diversão e uma coisa em mente. “A mulher pode ser o que quiser, quando quiser e como quiser. E quando falamos de mulher, falamos de todas as mulheres”, finaliza Raissa Alessandra Rossiter.