Debate é sobre casos do programa de estágio obrigatório

Alunos do 10º semestre estão a todo gás na preparação para terminar Enfermagem. Além da produção do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), estão passando pelo estágio obrigatório, para associar teoria e prática. A experiência é compartilhada em encontros de discussão dos casos clínicos do hospital São Francisco, localizado em Ceilândia.

A grade curricular prevê dois momentos como esse nas unidades hospitalares. No estágio, eles aplicam conceitos e desenvolvem técnicas que foram estudadas desde o início da formação em sala de aula: da atenção primária, passando pela saúde da criança, da mulher, do adulto, pelo pronto-socorro até a UTI.

De acordo com a professora Maribê Lébeis, os estudos dos casos clínicos são construídos na unidade de estágio, conforme a vivência. “Vamos fazendo o levantamento de informações sobre a evolução dos casos, escolhendo entre os pacientes uma patologia de relevância”, explica.

Os trabalhos são construídos em grupos e supervisionados por professores. Depois de desenvolver todas as práticas de enfermagem, explorar caso a caso, os alunos apresentam os casos aos colegas e a uma banca. Em cada encontro de discussão de casos clínicos, são realizadas duas ou três apresentações.

“Eles fazem a apresentação de todo o conteúdo do que foi documentado, falam sobre a postura e fazem a discussão clínica. Uma banca faz as considerações e sugestões que sejam pertinentes sobre o que pode ser mudado.”, esclarece Maribê.

Humanização

No decorrer dos estudos de caso, os alunos vão conhecendo as particularidades de cada paciente e de cada patologia. Aprendem a não tratar somente a doença, mas, também, acolher a família, acompanhar toda a parte psicológica, emocional.

“Desde o início do curso, aprendemos que devemos oferecer tratamento humanizado, abordar o paciente e sua família com a atenção. No ambiente hospitalar, a gente vê como o acolhimento faz todo o diferencial no tratamento”, comenta a aluna Ivanilde Mota. Já Carine Oliveira, outra estagiária do grupo, resume empolgada: “A gente aprende bastante coisa, vários casos diferentes e interessantes”.