Iniciativa aproxima alunos das diversas possibilidades de especialização

Por Rafael Lessa

Quem disse que estudo e cerveja não combinam? No Centro Universitário Icesp, a fabricação da bebida paixão nacional, e terceira mais consumida no mundo, depois da água e do café, é prática de laboratório. Trata-se de um curso básico de produção, oferecido aos alunos de Farmácia de todos os períodos.

Já que o curso é básico, os alunos veem um pouco de tudo. A parte teórica começa com a história da cerveja, os tipos que existem e a presença da bebida no mercado. Na parte prática, os alunos fazem todo o passo-a-passo da mistura de ingredientes. Depois aguardam a fermentação, que dura entre 20 e 30 dias, e retornam ao laboratório para fazer o envase e conhecer o resultado da experiência.

De acordo com o professor Guilherme Pinheiro, responsável pelo projeto e quem auxilia os estudantes na fabricação da cerveja, a ideia é apresentar uma das mais de cem áreas de atuação do profissional de Farmácia. Segundo ele, o intuito é ampliar conhecimento sobre a importância de farmacêuticos nos mercados alimentício e de bebidas.

“Muitas pessoas não conhecem, mas essa também é uma área de atuação farmacêutica. Ficamos presos a só conhecer a farmácia hospitalar, a drogaria e o laboratório de análises clínicas. Mas farmacêutico pode se especializar em mestre cervejeiro e trabalhar em pequenas fábricas artesanais e até em grandes indústrias”, explica.

A aluna Marilene Santos, do 4º semestre noturno, classifica a experiência como desafiadora. “Já sou técnica de enfermagem, mas queria sair da área hospitalar. Sempre tive interesse nessa área industrial, por isso o curso é interessante para mim, sem falar no meu apreço por cerveja”, diverte-se.