Coordenador da Odontologia Icesp tem assento na mesa de autoridades

O Centro Universitário Icesp teve representação na Mesa do Senado Federal, no último dia 25 de outubro, na sessão solene do Congresso Nacional em homenagem aos Cirurgiões-Dentistas. O professor Ricardo Paulin, coordenador do curso e membro do Conselho Regional de Odontologia (CFO/DF), teve assento na solenidade solicitada por parlamentares do Distrito Federal, que reuniu entidades, acadêmicos e profissionais da Odontologia de todo o Brasil.

O Dia do Dentista é celebrado há 135 anos no Brasil. A data é referência à criação das faculdades de Odontologia nos estados da Bahia e do Rio de Janeiro. Também marca o Dia Nacional da Saúde Bucal. No Icesp, Odontologia é um dos cursos mais concorridos, pela qualidade do ensino e pela estrutura oferecida aos alunos, com laboratórios e uma clínica escola com 43 cadeiras para atendimento à comunidade.

Mercado

Alguns dos cursos de Odontologia no Brasil estão entre os melhores mundialmente falando. Nos últimos oito anos, o número de dentistas cresceu mais de 40% no país, passando de 219 mil para 328.251 mil, o que representa 20% dos profissionais do mundo. São aproximadamente 23 mil técnicos em prótese dentária e 29 mil em saúde bucal, mais de 133 mil auxiliares em saúde bucal e cerca de 6.300 auxiliares de prótese dentária.

O Brasil tem mais de 43 mil clínicas odontológicas, mais de 2.400 laboratórios de prótese dentária e cerca de 1.300 empresas de produtos odontológicos. Ao todo, o número de profissionais que estão interconectados à Odontologia ultrapassa a marca dos mais de 550 mil profissionais.

Em discurso, o professor Ricardo Paulin lembrou que, mesmo com esses números, mais da metade dos brasileiros não se submetem à consulta anual com dentistas e falou em desafios do setor. “Ainda existem áreas de tratamento pouco exploradas e regiões com carência de profissionais, uma vez que 60% dos profissionais estão nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais”, afirmou.

Inovação

Nas últimas décadas, a Odontologia teve uma evolução tecnológica representativa, com mais qualidade, conveniência e previsibilidade no tratamento proposto ao paciente. As revistas odontológicas brasileiras viraram referência, principalmente na América Latina. A odontologia hospitalar, com o cirurgião-dentista integrando a equipe multiprofissional, está se tornando uma exigência em hospitais públicos e privados do país.

Para Paulin, investimentos em inovação, pesquisa e especialização devem ser uma constante para atender adequadamente às demandas. “Temos apenas 1.139 centros de especialidades odontológicas, mais de 4.431 municípios sem nenhum cirurgião-dentista especialista na rede pública”, explicou.

O professor encerrou seu discurso agradecendo a iniciativa da homenagem ao senador Izalci Lucas e à deputada Celina Leão que, neste ano, propôs o Projeto de Lei 2416/2019, sobre cuidados ortodônticos, preventivos e interceptivos, em crianças de 6 a 12 anos de idade, em saúde pública, com a meta de promoção da autoestima e bem-estar psicológico, essenciais à saúde integral das crianças e adolescentes.