Evento foi promovido pelo grupo de estudos em Radiologia do Icesp

Por Rafael Lessa

Durante dois dias, alunos e profissionais de diversas áreas participaram, na unidade de Águas Claras, do Simpósio “Otimização dos Níveis de Radiação”, uma promoção do grupo de pesquisa em Radiologia do Centro Universitário Icesp. O grupo se dedica a estudos na área de otimização de doses e sugeriu o tema do evento por contemplar vários subtemas. 

O encontro foi dividido da seguinte forma: no primeiro dia, uma ampla mesa redonda para debater a otimização de doses em tomografia de pronto-socorro, a partir da apresentação do tecnólogo em radiologia e especialista em radiologia e tomografia, Valdecy Miranda. No segundo dia, o simpósio ofereceu quatro minicursos.

Segundo a coordenadora do curso de Radiologia do Icesp, Thalita Lauanna, a importância da realização do evento é de grande dimensão. “Aqui os participantes conhecem outros profissionais e áreas de atuação, além de experiências. Enquanto cientistas, é o lugar onde colhemos informações para aprimorar nossa formação intelectual”, declarou. 

O líder do grupo de pesquisa e profissional do Instituto Federal de Educação de Minas Gerais, Vinicius Silva, também comentou o plano do evento. “Durante a programação, tratamos dos efeitos da radiação na saúde humana e animal, prejudiciais ou não. Também discutimos a qualidade do atendimento dos sistemas na área de radiologia”, contou. 

ALARA

No segundo dia de simpósio, quatro minicursos aconteceram simultaneamente. O primeiro, ministrado pelo tecnólogo em radiologia e especialista em neuromotricidade, Alexandre Gonçalves Passos, tratou do princípio ALARA (do inglês as low as reasonably achievable, que significa tão baixo quanto razoavelmente possível), uma filosofia para os técnicos e tecnólogos de radiologia.

Segundo Passos, a dose de radiação danifica átomos, altera as células, porém, traz benefícios. Ele fez uma comparação do princípio da radiologia com o sol. “Sabemos o período em que podemos e não podemos ficar expostos, um é benéfico e outro não. Com a radiação é a mesma coisa”, explicou. 

“A ALARA aumenta o nível de conscientização dos profissionais, inclusive sobre o medo do mito de que a radiação inevitavelmente causa câncer, quando, na verdade, a possibilidade de contrair a doença por meio de um raio-x é raríssima, aconteceria mais por imprudência do que por acidente”, completou Alexandre Passos.

Acidentes em Radioterapia

O segundo minicurso foi sobre a importância do controle de qualidade na prevenção de acidentes em radioterapia, com a especialista em radioterapia e tomografia, Andrea Barros de Aguiar. A tecnóloga em radiação também abordou o protocolo de controle de qualidade diário, um procedimento feito para verificar o bom funcionamento do aparelho, para que o paciente seja tratado com a maior segurança possível.

De acordo com Andrea, há formas de diminuir falhas mecânicas do aparelho e também precauções para falhas humanas. “Existe histórico de alguns acidentes que aconteceram na radioterapia, com paciente que foram tratados de forma errada. Então, todo cuidado e atenção são imprescindíveis”, afirmou.

Radiação na Veterinária

A Medicina Veterinária também foi contemplada no Simpósio de Radiologia do Icesp, com um minicurso exclusivo sobre a otimização de doses de radiação na rotina veterinária. O responsável pela explanação foi o tecnólogo Kesley Campos, que também ensinou como colimar – observar por meio de um instrumento adequado.

Sobre a rotina veterinária da Radiologia, Kesley falou sobre as incidências de tórax, que têm o maior índice nas clínicas e hospitais de atendimento a animais, e mostrou imagens detalhadas sobre essa rotina. “Para um diagnóstico preciso, a radiologia é fundamental, chegando a salvar vidas de pacientes”, informou Campos.

Física e Radiologia

Outro minicurso foi liderado pelo físico e membro do grupo de pesquisa em radiologia, João Paulo Moura Medeiros, que falou sobre a história da radiação, desde a sua origem até o conceito atual. “Nosso curso foi mais focado na parte física. Alertamos os riscos e benefícios da radiação, além da proteção individual”, explicou João.

Para Amanda Isidro, profissional da Radiologia e membro do grupo de pesquisa em Radiologia do Icesp, participar e ajudar a realizar o simpósio permitiu desenvolver habilidades, conhecer novidades da área e motivar os que ainda não se formaram e querem se dedicar à carreira acadêmica na área. “Para seguir na academia, é importante participar de eventos como esse”, avaliou.